Publication:

Sábado - 2021-11-25

Data:

António Serra Lopes (1934-2021)

A Semana

Advogado de Carlos Cruz no processo Casa Pia, foi considerado um dos melhores da sua geração. Morreu no dia 19, aos 87 anos Casado com a primeira mulher a chegar a bastonária da Ordem dos Advogados e ex-conselheira de Estado, Maria de Jesus Serra Lopes; sócio-fundador da Serra Lopes, Cortes Martins & Associados (SLCM); membro da Union International des Avocats e da International Bar Association: são estes apenas alguns dos marcos, factos e conquistas que é possível enunciar ao recordar a vida do advogado António Serra Lopes, que morreu na última sexta-feira, 19 de novembro, aos 87 anos. A jornalista Inês Serra Lopes, sua filha, homenageia o pai num texto publicado no Facebook, descrevendo-o como “vertical, intransigente, divertido, extraordinariamente inteligente, com o maior sentido de humor e uma imaginação verdadeiramente prodigiosa”. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa em 1958, inscreveu-se na Ordem dos Advogados em 1962, tendo exercido a atividade na comarca de Lisboa. Pelo meio, em 1967, concluiu o curso de Direito Comparado, na Faculdade Internacional de Direito Comparado de Estrasburgo. Em 1975, ingressou na congénere brasileira, onde exerceu a profissão no escritório Gouvêa Vieira, José Nabuco & Associados, no Rio de Janeiro, até 1980. No mesmo texto no Facebook, a filha recorda ainda Serra Lopes como “um dos melhores advogados da sua geração” e como sendo um homem que “seguiu a vida cortando a direito, fazendo sempre, exclusivamente, o que a sua consciência ditava”. Luís Cortes Martins, sócio da SLCM e Managing Partner, fala de Serra Lopes, que foi defensor de Carlos Cruz no processo Casa Pia, como um “dos maiores advogados de uma grande geração de juristas” e “um homem que teve importante intervenção cívica nos tempos mais difíceis da nossa Democracia, uma inteligência superior, um sentido de humor e uma grandeza humana a que ninguém ficava indiferente”. “Foi meu patrono, ensinou-me a ser advogado, foi um amigo de todas as horas e deixa na SLCM uma marca fortíssima de caráter, de exigência e de integridade. Tinha um carinho muito especial pelos mais novos e uma preocupação com a sua formação”, continua Luís Cortes Martins. Serra Lopes foi ainda advogado e diretor jurídico da CUF. No campo da política, foi consultor do Governo na área do investimento estrangeiro. A Ordem dos Advogados, fazendo representar-se pelo bastonário Luís Menezes Leitão, despede-se manifestando “o seu mais profundo pesar” pela morte do advogado. O velório realizou-se no passado sábado, 20 de novembro, na igreja da Ressurreição, em Alvide, Cascais. A filha, Inês Serra Lopes, por sua vez, termina a homenagem ao pai, no mesmo texto no Facebook, referindo que “vão ouvir-se gargalhadas no céu”. ●

Images:

© PressReader. All rights reserved.